custos iniciais de uma empresa

Descubra agora quais são os custos iniciais de uma empresa

Empreender é sinônimo de ter a liberdade de fazer aquilo que se gosta. No entanto, a abertura de um negócio envolve alguns gastos e, se está pensando em começar algo novo, é bom conhecer os custos iniciais de uma empresa.

Mas não desanime! Neste texto vamos mostrar quais são essas despesas para que você se planeje e tenha muito sucesso no seu empreendimento. Então, continue a leitura e fique a par desses importantes detalhes para o seu êxito. Boa sorte!

Despesas fiscais

Antes mesmo do negócio ter início, existem alguns custos para que ele simplesmente possa existir. Nesse ponto, é muito importante esclarecer que aspectos como a localidade e o formato jurídico em que a sua empresa é aberta provocam variações nesses valores.

Além disso, os gastos para manter uma negócio físico é diferente para uma loja online, por exemplo. Dependendo do produto ou serviço, você vai precisar pensar em questões como disponibilidade, custos operacionais, formas de entrega etc.

Outro detalhe que é muito importante não esquecer é possibilidade de já ter que contratar colaboradores para a jovem companhia. Dessa forma, caso precise de mão de obra, os salários, os direitos e os benefícios dos contratados precisam entrar nas contas iniciais.

Em relação ao formato jurídico, saiba que isso não se trata simplesmente de um protocolo que deve ser seguido. Ele caracterizará a empresa que vai ser criada, além de apontar quais as taxas inerentes ao formato e quais deveres fiscais precisarão ser cumpridos. Os formatos são:

  • microempreendedor individual (MEI);
  • microempresa (ME);
  • empresa individual de responsabilidade limitada (EIRELI);
  • empresário individual (EI);
  • sociedade empresária LTDA (LTDA);
  • sociedade anônima (S/A).

Para quem está começando, abrir MEI é uma excelente alternativa. Afinal, nesse regime, as taxas são simplificadas e a regularização é rápida.

Esse enquadramento é ideal para pessoas que trabalham individualmente, com faturamento anual de até R$ 81.000,00. Além disso, o status de MEI assegura ao empreendedor direitos como poder contratar um empregado, emitir notas ficais, obter créditos mais baratos e aposentadoria.

Assim, além de realizar o cadastro, basta que o microempreendedor individual pague a contribuição mensal (DAS) e faça a declaração anual de faturamento do simples nacional (DASN-MEI). Simples assim!

No entanto, caso não possa se enquadrar na categoria, existem outras alternativas que podem ser exploradas. Por isso, apresentamos a você as fontes dos custos de abertura de uma empresa. Confira!

DARF e DARE

Nessa hora, aparecem as conhecidas despesas fiscais: a DARE e a DARF. Essas são as primeiras taxas a serem recolhidas e, basicamente, constituem uma taxa federal e estadual que precisa ser paga à junta comercial.

O DARF, Documento de Arrecadação de Receitas Federais, é um instrumento utilizado pelo Ministério da Fazenda e Receita Federal para o recolhimento de tributos existentes em operações financeiras. Já o DARE, Documento de Arrecadação de Receitas Estaduais, é referente aos tributos estaduais.

Certificado Digital

Nessas primeiras taxas, também é necessário incluir as expensas com o Certificado digital. Afinal, ele é um meio de redução de burocracias e gastos com impressão e cartórios, agilizando a assinatura de documentos.

Alvará e licenças para funcionamento

Além dos documentos citados anteriormente, é muito importante que você consiga na prefeitura de sua cidade o alvará de funcionamento. Assim, antes de começar as atividades, é muito importante que você saiba quais são as permitidas em seu município.

Em alguns casos, principalmente se for uma indústria, será necessário obter algumas licenças para o exercício das atividades. São elas:

  • licença sanitária;
  • licença ambiental;
  • Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.

Honorários do contador

E não esqueça, também, dos gastos com o escritório de contabilidade. Afinal, é a figura do contador que vai cuidar das questões mais burocráticas com a abertura do empreendimento.

Investimento fixo

Você fez todo o planejamento, colocou todos os gastos na ponta do lápis e se certificou de tudo o que precisa com seu contador. Agora é a hora de tirar o seu projeto do papel.

Para isso acontecer, tenha em mente que você precisará gastar com a infraestrutura do estabelecimento e com os materiais e produtos necessários para a realização das atividades.

Faça uma lista de tudo o que será preciso, como:

  • aluguel ou compra de espaço para os negócios;
  • construção ou restauração das instalações;
  • aquisição de instrumentos, maquinários e demais utensílios;
  • gastos com fornecedores;
  • expensas com mão de obra;
  • transportes, se for o caso.

Verifique, então, o nível de exigência de cada item, de acordo com seu preço e plano de negócios. Em todo caso, vale a lei da economia. Portanto, procure sempre o melhor custo-benefício para manter o controle sobre as finanças.

Investimento pré-operacional

Da mesma forma que o investimento fixo, esse investimento é fundamental para a criação da nova companhia, mas não é direcionado para a aquisição de bens. Ele está ligado aos custos para legalizar o empreendimento, capacitação de novos colaboradores, estratégia de marketing, divulgação, etc.

Pode parecer um pouco complicado no início. Por esse motivo, é muito importante que você elabore um plano de negócios. Assim você não se perde em tantos pontos de planejamento, além de assegurar um ponto de chegada para seu projeto.

Capital de giro

Ao iniciar um comércio, indústria ou prestação de serviços, você provavelmente não terá dinheiro em caixa ou, pelo menos, não de forma significativa. Dessa forma, para manter as operações a todo vapor é preciso uma reserva financeira para cobrir as despesas como folhas de pagamento, estoque, gastos fixos e variáveis, além de uma quantia para os casos emergenciais.

Caso o capital de giro não receba a importância merecida ou o seu cálculo seja feito de forma descuidada, as coisas podem não acontecer conforme o esperado. Essa é, inclusive, uma causa de endividamento. Então, muito cuidado!

Registro da marca da empresa

Antes de qualquer coisa, saiba que a marca é uma propriedade da sua companhia. Com o devido cuidado, ela pode se tornar uma fonte de lucro de forma direta e indireta, além de ser a sua principal identificação e conexão com o cliente.

Por isso, é muito importante que você registre a marca da sua empresa. Assim, você consegue evitar que ela seja reproduzida pela concorrência e ganha mais oportunidades no mercado.

Após fazer o projeto da marca da sua empresa, você precisa procurar o INPI, Instituto Nacional de Propriedade Industrial e fazer o pedido de registro, que será examinado pelo órgão em concordância com a Lei de Propriedade Industrial e outras regulamentações.

Obviamente, o registro da marca está sujeito ao pagamento de taxas. No entanto, vale a pena pensar que isso não é um gasto desnecessário, mas um investimento. Afinal, na hipótese de sua marca se tornar reconhecida, você poderá explorá-la e lucrar com isso.

Despesas ao longo do percurso

Os custos iniciais de uma empresa são apenas as primeiras etapas do processo de gerir um negócio. Após todo o processo de abertura, é preciso muita atenção para os gastos que virão.

Você vai encontrar em seu caminho as despesas fixas, que não estão relacionadas com os custos do produto. Elas incluem expensas como locação, seguros, taxas bancárias, entre outros.

Aliás, no último caso, entenda que despesas fixas não se tratam de despesas constantes, mas significam apenas que elas estarão presentes todos os meses. A conta de luz, por exemplo, sempre aparecerá, mas isso não quer dizer que ela terá sempre o mesmo valor, ok?

E você vai se deparar também com despesas variáveis, essas sim são ligadas aos custos do produto, já que o seu valor muda conforme varia o volume de vendas, produção ou outras dinâmicas na companhia.

Estimativa de custos iniciais

Naturalmente, você deve estar se perguntando quanto custa, de fato, abrir um novo negócio. Porém, embora o custo médio no Brasil seja R$ 1.581,16, tenha em mente que o valor varia de acordo com o formato jurídico e localidade, como já citamos, e a natureza do empreendimento.

Para ilustrar esse caso, perceba que ser MEI no Rio de Janeiro é diferente ser MEI em São Paulo. Outro exemplo é a diferença entre o valor das taxas para prestação de serviço e de negócios industriais.

Por isso, é fundamental delinear todos os aspectos da sua companhia para ter uma clara noção do quanto vai custar a sua abertura. Afinal, os custos iniciais de uma empresa não vão impedir você de obter sucesso.

Agora é o momento de tocar os seus negócios para frente. Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar você. Até mais!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitamente diretamente em seu e-mail!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.