o que é microblading

Você sabe o que é microblading? Saiba por que apostar nessa técnica!

O mercado da beleza está em constante ascensão. De procedimentos estéticos à maquiagem, os profissionais que atuam nesse meio estão sempre se reinventando e descobrindo novas tendências para trabalhar melhor e atrair mais clientes para seu nicho.

Um deles é o designer de sobrancelhas, que além de poder realizar serviços mais simples, como o design, também pode se especializar em técnicas semidefinitivas, como o microblading e a micropigmentação.

Mas você sabe o que é microblading e micropigmentação? Neste post, vamos diferenciar essas técnicas e mostrar por que investir em uma delas pode potencializar a carreira de um designer de sobrancelhas. Acompanhe!

O que é microblading?

O microblading é um tipo de design de sobrancelhas em que a profissional desenha fios bem finos que se misturam aos naturais — por isso, também é conhecida como fio a fio. Semipermanente, a técnica é feita com medições no rosto, por isso as sobrancelhas devem sair sempre simétricas.

Mas além de entender o que é a técnica em si, é importante que você descubra o que não é microblading! Algumas pessoas confundem o procedimento com a micropigmentação. É até compreensível considerando que os dois têm a mesma finalidade, mas eles se diferenciam pelo efeito e técnica — e a profissional precisa estar atenta a isso.

Micropigmentação

Nessa modalidade, o aparelho usado é o dermógrafo, que desenha os fios por meio de estímulos elétricos. A pigmentação é mais intensa, dando um resultado mais marcante, com mais espaçamento entre os fios, deixando a sobrancelha mais robusta.

Aqui, é importante frisar que, quanto mais especializada a profissional for, melhor será o serviço. O manejo do dispositivo deve ser treinado constantemente até que ela se sinta segura e possa usá-lo para realizar o design.

Microblading

Uma das razões da popularização do microblading é o seu resultado, principalmente para pessoas que querem um resultado bem natural nas sobrancelhas. Nesse caso, a técnica traz um design bem mais sutil, pois permite que o espaçamento desenhado entre os fios seja menor em relação à micropigmentação.

Isso gera um aspecto menos perceptível do pigmento, daí vem o nome “fio a fio”.

Para o microblading, o aparelho usado é o tebori (que vem do japonês e significa “tatuar com as mãos”). Diferentemente do dermógrafo, o uso desse aparelho é 100% manual.

A designer pigmenta as sobrancelhas de acordo com a simetria do rosto da cliente. Esse procedimento leva mais tempo e costuma ser realizado em até duas horas.

Dermógrafo X Tebori

Às vezes, o que impede uma cliente de investir na micropigmentação ou microblading é o medo de agulhas, pois a falta de conhecimento sobre a forma de realização do procedimento pode desencorajar a clientela. Por isso, a designer — mesmo que não atue com as duas técnicas — deve conhecê-las, para poder explicar e aconselhar em qual vale a pena investir.

Você pode começar informando como funcionam o dermógrafo e o tebori. Resumidamente, o tebori (microblading) é uma espécie de caneta, com microagulhas em sua extremidade responsáveis por fazer os fios. Antes de usá-lo, geralmente o designer aplica uma pomada anestésica, que diminui consideravelmente o desconforto da cliente.

Já o dermógrafo conta com vários modelos no mercado e é mais prático. Como ele é elétrico, sua ação é mais rápida, mas não necessariamente indolor. Para o designer que está investindo nessa técnica, é importante verificar se o dispositivo usado é verificado pela  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Materiais

Além do tebori, os demais acessórios necessários para fazer o microblading são:

E para fazer o treino? Antes de ir para a pele da cliente, você precisa de prática. Então, invista em:

  • papel sulfite;
  • borracha EVA;
  • pele artificial;
  • lápis dermatográfico;
  • tebori.

Antes de tudo, você vai treinar o microblading no papel sulfite e em imagens de sobrancelhas montadas. Quando estiver craque no desenho, replique o procedimento em pele artificial para praticar a precisão e leveza da mão.

Tipos de agulha

  • flex: são lâminas flexíveis e envolvidas por um material plástico, que permitem o desenho de fios mais curvados;
  • hard: de metal bem firme, as agulhas hard são indicadas para peles mais grossas, pois ajudam a ter mais precisão no desenho do fio;
  • U: as agulhas desse tipo têm o formato da letra U. Indicadas para desenhar fios mais redondos e são as mais fáceis de manusear;
  • flat e round: usadas para desenhar com batidinhas, essas lâminas servem para esfumar entre os fios ou contornar as sobrancelhas.

Como fazer a mistura de pigmentos?

Veja a proporção de cores para diferentes tipos de sobrancelha:

  • loiro claro: 5 gotas de castanho-claro + 1 gota de marrom-café;
  • loiro médio: 4 gotas de castanho-claro +1 gota de marrom-café;
  • castanho-claro : 4 gotas de castanho-claro + 2 gotas de marrom-café;
  • castanho: 3 gotas de castanho-claro + 3 gotas de marrom-café;
  • castanho-escuro: 1 gota de castanho-claro + 4 gotas de marrom café;
  • escuro, quase preto: 6 gotas somente somente de marrom café.

Para não ter erro, escolha um pigmento com um tom acima do que você usaria em técnicas de esfumado (shadow). Como os fios desenhados mais finos e delicados, eles não aparecem tanto quanto uma sombra.

Por que apostar na técnica microblading?

microblading-pigmentacao-de-sobrancelhas

Caso pesquise sobre as últimas tendências de maquiagem, provavelmente você vai encontrar a seguinte informação: o natural está ganhando força.

Sim, a gente sabe que há quem prefira sobrancelhas mais marcadas. No entanto, hoje o mercado pede algo mais natural, que traga leveza ao rosto. Além disso, as pessoas gostam de exclusividade: elas não querem que a profissional use um desenho padrão, e sim que façam algo pensado em cada cliente.

A popularização do microblading, claro, reforça essa teoria. Como você viu, a técnica é manual e mais demorada justamente para criar um resultado autêntico.

microblading

Pensando nisso, é comum que os profissionais da área se especializem nesse procedimento para conhecer melhor seus benefícios e conquistar cada vez mais clientes. Para ajudar você, descrevemos alguns dele abaixo.

Técnica aprimorada

Para o designer que atua na área há pouco tempo, aprender a técnica de microblading é uma excelente oportunidade para melhorar seu desempenho. Por ser um trabalho manual, ele exige mais preparo e paciência do profissional.

Lembre-se de que essa preparação influencia 100% no resultado e na sua carteira de clientes. Por isso, o investimento para dominar o método é indispensável.

Além disso, o microblading se torna menos incômodo para as clientes, considerando que, durante sua execução, não há barulho nem vibração. E para os profissionais, há um custo a menos com eletricidade (diferente do dermógrafo).

Custo dos utensílios

Enquanto um dermógrafo pode custar centenas de reais, os utensílios usados no microblading são bem mais baratos. O tebori, dependendo do fornecedor, não chega nem a R$ 50.

Preço

Geralmente, os profissionais da área cobram mais caro para realizar o procedimento. Um dos motivos é o fato de a técnica ser relativamente nova no mercado. Além disso, exige mais domínio, ou seja, mais investimento profissional.

Outro fator é que o resultado é mais compatível com as tendências atuais , o que favorece o procedimento.

Para precificar, você precisa levar em conta diversos aspectos:

  • concorrência (há muitas profissionais no entorno que fazem microblading?)
  • o tempo de experiência com a técnica;
  • o investimento em estudos;
  • a região em que trabalha;
  • custos com material;
  • seu público-alvo.

Com tantos motivos para se considerar, a faixa de preços é bem ampla. Para se ter uma ideia, você encontra no mercado profissionais que cobram desde R$500 até R$1,3 mil. Portanto, é possível obter um bom lucro, mas sempre levando em conta todos os fatores mencionados.

Lembre-se também de que, mesmo que você atenda em um local mais baixa renda, o procedimento deve dar lucro e não pode ser muito abaixo dessa faixa. Afinal, isso desvaloriza o seu trabalho e investimento na técnica. O ideal é investigar a concorrência e investir em todos os diferenciais do seu trabalho.

Cuidados

A cicatrização de qualquer procedimento estético depende dos dois lados: do profissional e do cliente. Cabe ao designer dominar a técnica que vai utilizar e executá-la da melhor maneira possível, assim como informar ao seu cliente os cuidados necessários para que o resultado seja condizente com as expectativas dele.

O problema é que a cliente é ansiosa e a cicatrização pede paciência. Se ela não estiver preparada, pode passar por uma montanha-russa de sentimentos, já que o resultado inicial é bem marcado e causa casquinhas.

A ausência de uma boa explicação sobre todo esse processo pode influenciar não apenas no serviço, mas também no retorno do cliente. Por isso, é importante informá-lo sobre o uso de produtos específicos na área, o uso de protetor solar e a necessidade de evitar a exposição ao sol. Caso contrário, o pigmento pode sofrer alteração de cor e, pior, a região não vai cicatrizar corretamente.

Além disso, nada de molhar a região nas primeiras 48 horas! Explique para ela que você acabou de aplicar o pigmento. Então, quanto mais tempo ela esperar para mexer na região, melhor será a fixação.

Outros cuidados essenciais durante a cicatrização são:

  • usar hidratante na região (evita que a pele “repuxe” o pigmento). Ela deve ser feita com o creme restaurador recomendado pela designer;
  • nunca, jamais, em tempo algum tirar as casquinhas. A pigmentação ficará falhada, e a região, lesionada;
  • ao fazer limpeza de pele, não esfregue a parte pigmentada;
  • evitar maquiagem e cosméticos na região;
  • evitar banhos de mar, piscina e sauna;
  • evitar muito contato com animais;
  • manter as sobrancelhas limpas;
  • lavar as mãos antes de tocá-las;
  • evite o uso de ácidos na região.

Os cuidados durante a cicatrização serão fundamentais para a durabilidade geral do procedimento. Portanto, a cliente pode sim estender alguns desses hábitos durante todo o período em que o microblading estiver fixado.

Duração

Se a cliente seguir todo o passo a passo de cuidados, é possível obter um resultado mais bonito e duradouro, que pode variar de 6 a 12 meses. Peles mais oleosas tendem a “expulsar” o pigmento com mais rapidez; já as secas conseguem reter a tinta por mais tempo.

No entanto, a cliente vai perceber o desbotamento assim que a região cicatrizar. Nesse período, ela perde cerca de 30% do pigmento. Em 7 meses, 70% já foi eliminado. Portanto, o ideal é fazer um retoque anual.

Mudanças no acabamento

Uma dúvida bem comum é: os fios desenhados podem ficar mais grossos depois de um tempo? Sim, pode acontecer por conta do desbotamento — principalmente se o pigmento utilizado for orgânico.

Além disso, se a designer não colocar o pigmento a exatos 90 graus em relação à pele, ele pode ficar com um aspecto esfumado e, consequentemente, mais grosso.

O resultado também pode variar de pele para pele, mas não há um motivo específico por trás dessa alteração.

Os cuidados com as sobrancelhas estão ganhando cada vez mais espaço na rotina de quem gosta de se cuidar. Sem dúvidas, é um mercado que vale a pena investir e se especializar, principalmente em técnicas como o microblading, pois isso impacta positivamente em seu lucro e credibilidade. Ao profissional, cabe se capacitar a fim de entregar o melhor resultado possível a seus clientes.

E como você viu, a profissão exige dedicação e muito estudo. Então, inscreva-se agora no curso Microblading: sobrancelha fio a fio!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitos diretamente em seu e-mail!