O que fazer para organizar as finanças do meu pequeno negócio?

Se você é artesã ou deseja lançar sua marca ou mesmo abrir uma empresa, precisa saber que organizar as finanças do seu pequeno negócio é um procedimento fundamental para garantir a continuidade das suas atividades e evitar prejuízos no faturamento causados por erros de cálculo!

Esse cuidado deve se tornar uma realidade para vários tipos de empreendimento, desde as empresas de grande porte até os negócios menores, incluindo o trabalho com artesanato, ok? Quer obter uma fonte de renda extra ou seguir carreira como artesã?

Neste post, reunimos algumas dicas básicas e fundamentais de como organizar as finanças do negócio de forma adequada, para obter mais lucros e evitar prejuízos. Quer melhorar a dinâmica da sua empresa? Claro, né? Então, continue a leitura!

Separe as finanças da empresa das pessoais

Antes de tudo, você precisa separar as contas da empresa e os seus gastos pessoais. Um dos maiores equívocos dos gestores e empresários, principalmente os autônomos, é misturar as despesas do negócio com o pessoal. Isso pode causar confusão nos registros e ocasionar o descontrole das finanças.

Mari Salles, fundadora da Love Accounting e expert da eduK, explica que os princípios básicos da contabilidade são o estudo, planejamento e o controle daquilo que é necessário para a empresa, a fim de se tomar decisões proativas e certeiras para o negócio. Afinal, uma empresa dificilmente consegue sobreviver no mercado sem uma estrutura financeira bem planejada.

De acordo com Mari, a falta de organização financeira acarreta a falta de recursos, ou seja, quando o empresário não sabe onde o dinheiro está sendo aplicado. Isso atrapalha o desenvolvimento dos negócios.

Por exemplo, o dinheiro que entra no caixa da empresa será direcionado para o pagamento de dívidas pessoais (ou vice-versa), fato que vai provocar, uma hora ou outra, a falta de controle financeiro. Portanto, o recomendado é manter contas separadas, de modo a não misturar as movimentações.

Registre todas as despesas e receitas

É importante fazer o registro frequente do fluxo de caixa. Ou seja, catalogar os valores que são lançados no caixa e movimentados. Desse modo, fica mais fácil saber a quantidade de dinheiro que se encontra disponível e também saber se o negócio está indo bem ou se está enfrentando dificuldades financeiras.

Segundo Mari Salles, a falta de controle do fluxo de dinheiro que entra e do valor que sai é um dos grandes erros que afeta os pequenos negócios. Além disso, outro fator prejudicial é começar a empresa sem o mínimo de capital (“fluxo de respiro”). Nesse cenário, o importante é listar os gastos e a partir daí, analisar as melhores soluções, como o financiamento, a procura por outros clientes etc. Portanto, conheça o que você precisa antes de buscar as opções. Para isso, você deve fazer o registro de alguns valores:

  • saldo inicial: a quantia disponível em determinada data;
  • receitas: a quantia que entra no caixa, por meio da venda dos produtos. Nesse caso, é importante detalhar a origem do dinheiro e a forma que o cliente escolheu para o pagamento (dinheiro em espécie ou cartão);
  • despesas: os valores que saem da conta da empresa, referente à compra de insumos e matérias-primas, contas de luz, água, internet, publicidade, mensalidade do registro como MEI, pagamento da remuneração de funcionários, etc.

O ideal é coletar e registrar o máximo de informações possíveis sobre a entrada e a saída de valores. Assim, você terá dados suficientes para saber como está a saúde financeira do seu negócio, e poderá tomar decisões embasadas em dados atualizados e concretos. Se desejar, utilize o Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE), com o intuito de verificar os lucros e conhecer os gastos envolvidos.

Powered by Rock Convert

Tenha o controle das contas

Monitore as contas a receber e a pagar. Desse modo, você poderá identificar a quantia que entra, os valores que estão pendentes de entrada no caixa, identificar os clientes inadimplentes, saber como programar as cobranças. Além disso, também fica mais fácil se manter informado sobre as contas que estão prestes a vencer, determinar as contas que têm prioridade de pagamento, bem como saber se está ocorrendo algum problema.

Mari Salles explica que, para evitar a falta de controle financeiro, o primeiro passo para conseguir gerenciar um negócio é listar as atividades que você precisa realizar para atender um cliente, o tempo que se leva para produzir e o valor que deve ser cobrado por ele. Esse detalhamento pode ser feito por planilhas ou um sistema ERP, por exemplo.

Prepare-se para os imprevistos

Você precisa estar preparado para eventuais imprevistos que podem acontecer repentinamente e afetar as finanças do seu negócio, como o enfraquecimento nas vendas, extravios de mercadorias, devolução dos produtos pelos clientes, baixas sazonais de vendas, etc. Tudo isso deve ser pensado durante o planejamento. Nesse sentido, o recomendado é reservar um valor extra que será destinado para cobrir possíveis prejuízos.

Tenha um orçamento empresarial

A ausência de um efetivo planejamento financeiro é um dos maiores erros dos artesãos. Independentemente de se tratar de um estabelecimento físico ou se você vende pela internet, é essencial criar um orçamento empresarial. Esse plano vai determinar os valores que serão destinados para cada setor, como a compra de insumos e equipamentos, o pagamento de impostos e a remuneração de funcionários, as ações de marketing etc.

Dessa forma, você terá todos os valores detalhados e poderá planejar os seus gastos de modo mais estratégico e inteligente conforme as necessidades do seu negócio, a sazonalidade e as tendências do mercado.

Use aplicativos especializados

Aproveite o poder da tecnologia para organizar as finanças do seu negócio de artesanato. Atualmente, existem várias ferramentas automatizadas que contêm funcionalidades específicas voltadas para empresas e também para os pequenos empresários e autônomos. O intuito é reduzir o trabalho dos artesãos e otimizar a rotina de gestão desses profissionais. O sistema pode organizar os documentos digitais, controlar o fluxo de caixa, pagar contas de modo automático etc.

Um dos maiores desafios para pequenos empreendedores é sobreviver aos primeiros anos de atividade. Esse é um período de incertezas causado pela falta de planejamento, a oscilação da demanda e, acima de tudo, o desconhecimento de como organizar as finanças de maneira adequada. É por isso que para ganhar dinheiro, é importante entender alguns conceitos de empreendedorismo e contabilidade para evitar que o seu negócio sofra prejuízos e consiga se manter ativo no mercado.

Quer saber mais dicas para manter a saúde financeira para o seu negócio de artesanato? Então, curta a página do EduK no Facebook e confira as nossas publicações!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitos diretamente em seu e-mail!