foto: Shutterstock

Formalize o seu negócio de gastronomia: seja MEI

Seu sonho é viver formalmente da gastronomia mas não sabe bem como profissionalizar seus dotes culinários? O primeiro passo é se tornar um microempreendedor individual, ou simplesmente MEI. Essa é a forma mais interessante para quem já trabalha por conta própria e quer legalizar seu negócio de maneira rápida, fácil e com custo mensal baixo. Se esse é o seu caso, saiba que há muitas vantagens nesse processo!

Negócios no ponto!/ foto: Shutterstock
O seu negócio  no ponto!/ foto: Shutterstock

Primeiro passo

Importantíssimo: para ser MEI, seu faturamento anual não pode ser superior a R$ 60 mil e você não pode ter participação em outra empresa, nem como sócio, nem como titular. Ah: o cadastro é gratuito.

Benefícios

Além de trabalhar de forma legalizada, com o MEI você cria um CNPJ diretamente pela internet. O processo é rapidinho e não há pagamento de impostos federais. Outros pontos interessantes são o acesso a crédito facilitado, direito a aposentadoria, além de benefícios como auxílio-maternidade e auxílio-doença. Você também vai poder abrir uma conta no banco como pessoa jurídica e ainda emitir notas fiscais. Hoje, no Brasil, são mais de 5 milhões de microempreendedores individuais. Para se inscrever basta acessar o Portal do Empreendedor. Faça você também a sua empresa crescer!

Pronto, agora também sou MEI. Vamos falar sobre taxas?

No momento em que você passa a configurar a categoria de MEI, é preciso saber o quanto irá pagar:

  • Para a Previdência: R$ 44,00 por mês (isso representa 5% do salário mínimo que é reajustado no início de cada ano)
  • Para o Estado: R$ 1,00 fixo por mês, isso se a atividade for comércio ou indústria
  • Para o Município: R$ 5,00 fixos por mês, caso a atividade seja a prestação de serviços
  • Para quitar esse valor, você gera um Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) no Portal do Empreendedor e paga até o dia 20 de cada mês. Tudo isso feito pela internet!
A chef e expert da eduK Bruna Pavão é MEI!
A chef e expert da eduK, Bruna Pavão, é MEI!

Vale lembrar que, entre as obrigações do MEI, está a prestação de contas. É necessário entregar um relatório, até o dia 20 de cada mês, das receitas que obteve no mês anterior. As notas fiscais, tanto de compra como as emitidas aos clientes, devem ser anexadas. Uma vez por ano, o microempreendedor individual deve fazer uma declaração do faturamento do ano anterior. Esses formulários estão disponíveis no Portal do Empreendedor.

Agora é com você! Coloque a mão na massa e seja MEI
Agora é com você! Coloque a mão na massa e seja MEI/ crédito da foto: Shutterstock

Conta pra gente: você já é MEI? O que mudou no seu negócio depois da formalização? Se inda não é MEI,  cadastre-se aqui.

Viva da gastronomia. Viva feliz!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitamente diretamente em seu e-mail!

5 Comentários

    Aproveitando o post sobre formalização, vocês têm alguma dica no que diz respeito a abertura efetiva de um restaurante, bar e faturamento médio do setor?

    Uma vez que passo a me formalizar com o MEI, depois de quanto tempo recebo os benefícios?

    Estou assinando a eduk pelo segundo ano e posso dizer que estou muito contente pois já estou conseguindo cozinhar coisa que nunca fiz na vida e estou aproveitando agora para aprender pois estou aposentada e embora continue trabalhando agora estou tendo mais tempo. Tenho gostado muito dos cursos. Os professores são ótimos!

      Olá Maria Carolina! Ficamos muito felizes com a sua mensagem. Sempre que puder, confira nossos posts e fique à vontade para enviar sugestões. E não perca os próximos cursos de gastronomia. Estão incríveis!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.