preço de artesanato

7 passos para calcular o preço do artesanato e valorizar seu produto

Quando se fala em artesanato como fonte de renda, diversos fatores devem ser levados em conta. O preço, por exemplo, deve cobrir o custo e, ao mesmo tempo, render lucros e ser acessível ao cliente. Do contrário, não tem como obter um retorno favorável para ambas as partes (artesão e consumidor).

Aliás, aprender a vender seus produtos a um preço justo e valorizar o seu trabalho é, sem sombra de dúvidas, muito importante para se tornar um artesão de sucesso. Mas você sabe como fazer o cálculo das suas peças de forma adequada?

Neste post, listamos 7 passos para calcular o preço do artesanato e valorizar o seu produto sem esquecer, é claro, de cativar o cliente e buscar o seu próprio diferencial. Confira!

1. Saiba como iniciar no mercado

Uma das carreiras que tem crescido muito ao longo do tempo é a do artesão. Isso acontece porque novas tendências e necessidades são sempre disponibilizadas nesse mercado. Mas para se lançar nesse caminho, é preciso dedicação, empenho e acima de tudo imprimir carinho e amor em cada peça.

Sendo assim, é importante pesquisar sobre o mercado e descobrir quem são seus concorrentes. A dica é começar com um passo de cada vez e ir avançando aos poucos, sempre aprimorando o trabalho e entregando produtos diferenciados, que encantem os clientes.

2. Entenda como calcular o preço do artesanato

Um dos grandes desafios do artesão é calcular o preço do artesanato. Afinal, é preciso entrar em um consenso do valor a ser cobrado para agradar o cliente. O custo deve justificar o trabalho oferecido. Se o produto é de qualidade, obviamente que ele custará mais caro.

Com o crescimento desse mercado, o artesanato tem se tornado uma forte alternativa de renda. É a chance de muitas pessoas trabalhar de casa e se tornar um profissional autônomo fazendo aquilo que mais gosta. Mas para que essa jornada seja bem-sucedida, é fundamental levar em conta diversos fatores — entre eles, definir o cálculo do valor final, conforme veremos mais adiante.

3. Descubra quanto vale sua hora de trabalho

Na hora de estipular o preço do artesanato, uma das tarefas mais difíceis, porém, extremamente necessária, é descobrir quanto custa sua hora de trabalho. Afinal, como fazer esse cálculo? Primeiramente, tenha em mente que trabalhar de casa requer gerir bem o seu tempo.

Assim, seu cálculo se tornará simples, pois você precisará definir qual será seu salário e, depois, quanto tempo pretende trabalhar para obtê-lo. Feito isso, basta dividir seu rendimento pelo número de horas trabalhadas. O resultado será o valor de sua hora, o qual deverá ser acrescentado ao preço final do produto. Suponhamos que você decida trabalhar 8 horas por dia, 5 dias por semana.

8 horas por dia x 20 dias em um mês = 160 horas por mês

Para calcular o valor de cada hora, basta pegar o valor que você pretende ganhar (vamos supor que a sua meta seja ganhar 1500 reais por mês) e dividir pelo total de horas do mês (160).

1500 ÷ 160 = 9,37

O valor da sua hora de trabalho, nesse caso, é de 9,37.

4. Liste os custos com materiais

Em primeiro lugar, é preciso saber o que é custo. Nada mais é do que gastos relacionados diretamente com a produção de um bem, ou seja, tudo o que precisa investir para que seu artesanato seja produzido.

Saber o quanto você gasta com cada item é um dos fatores determinantes para definir o preço do artesanato. Um bom exemplo de custo de produto é a matéria-prima utilizada para a fabricação. Por falar nisso, optar por materiais de qualidade é essencial.

Gastar um pouco mais de tempo antes de comprar, fazendo uma pesquisa por bons produtos a preços convidativos é o melhor conselho. Assim, você poderá estipular um valor um pouco mais em conta para o seu artesanato.

Sem esquecer, é claro, de que nos materiais deve sempre se incluir o valor das embalagens, afinal um produto bem apresentável enche os olhos.

5. Identifique as despesas de produção

Um passo bastante importante para a definição do preço do artesanato é identificar as despesas de produção. Diferentemente do custo, tais gastos não estão diretamente ligados ao produto. Porém, devem ser levados em conta para que se obtenha lucro e não sofra prejuízos. Exemplos desse tipo de dispêndio são a energia elétrica, a água, o telefone, a internet, o aluguel, entre outros.

6. Estabeleça a margem de lucro do artesanato

A margem de lucro do trabalho artesanal deve levar em consideração inúmeros fatores, entre eles, o próprio mercado (se está ou não favorável) e o produto (se oferece ou não algum diferencial em relação aos itens produzidos pela concorrência).

Avalie, também, o posicionamento da marca diante do mercado (se ela é ou não conhecida), a qualidade do material usado no produto, a criatividade do artesão, entre outros fatores. Uma margem de lucro considerada justa varia de 30% a 50%. Mas não se esqueça que é com esse valor que você terá de investir em novos materiais e maquinário, por exemplo.

7. Faça o cálculo final

Para que o cálculo final seja realizado, você precisa considerar tudo o que listamos nos tópicos anteriores. Ou seja, observar os gastos adicionando os custos, as despesas de produção, quanto tempo levou para fazer determinada peça e a margem de lucro pretendida. Dessa forma, chega-se ao valor de mercado almejado.

Sem dúvida, empreender é sempre desafiador — no mundo do artesanato não é diferente. Mas com dedicação e empenho esse trabalho se torna prazeroso e, claro, bastante rentável. Logo, um hobby pode se transformar em um trabalho conhecido e valorizado e em um ótimo negócio.

Seja para complementar a renda familiar, seja ganhar dinheiro extra para aquela viagem tão sonhada, o artesanato é uma atividade muito promissora. Por isso, muitas pessoas veem nele a possibilidade de sua principal fonte de renda.

E então, aprendeu como calcular o preço do artesanato? Saber definir o valor de cada peça é muito importante para evitar prejuízos e, principalmente, aumentar a sua lucratividade. Porém, lembre-se de observar os montantes praticados pela concorrência e avaliar se o seu produto condiz com o mercado, levando em conta a sua criatividade e a qualidade do que produz.

Agora que você já sabe como calcular o preço do artesanato, não vê a hora de botar a mão na massa? Antes, que tal entender um pouco mais sobre esse universo? Afinal, para aumentar as possibilidades de vendas, é fundamental descobrir o que os consumidores mais procuram, não é verdade? Aproveite a visita ao blog e conheça as 5 principais tendências de artesanato para você investir em 2020!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitamente diretamente em seu e-mail!

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.