A relação entre fase do negócio, margem de lucro e remuneração no mercado de artesanato

Qualquer pessoa que queira viver de artesanato precisa aprender a lidar com as finanças de um negócio. E isso não significa apenas colocar um preço de venda no seu produto que evite prejuízos!

Você deve conhecer a relação entre fase do negócio, margem de lucro e remuneração – ou seja, o seu salário! –, para construir um negócio sustentável e com potencial de transformar a sua vida.

Ainda que os números assustem, quem trabalha no mercado de artesanato precisa se familiarizar com eles.

Mais do que isso, deve aprender a usá-los a favor do próprio negócio. Afinal, nada como ter controle sobre o que entra e o que sai, maximizar os lucros e atingir os objetivos desejados.

É por isso que a eduK preparou este artigo.

A seguir, vamos explorar o que é margem de lucro e remuneração, falar sobre as diferentes fases do negócio e oferecer as melhores dicas para você ganhar dinheiro com a sua paixão.

Preparada?

Então bora lá!

relacao entre fase do negocio, remuneracao e margem de lucro

Margem de lucro e remuneração no artesanato: entenda esses conceitos-chave

Antes de explicar como ajustar a margem de lucro e a remuneração em cada fase do seu negócio, é preciso deixar muito claro o que cada um desses conceitos significa.

O que é remuneração e como estabelecê-la?

Nada mais é do que o salário que você recebe pelo seu trabalho com o artesanato. Ou seja, o quanto você ganha com as vendas das suas peças.

E quem define a sua remuneração é você mesma. Porém, é preciso ser realista ao definir esse valor.

Isso significa que você deve avaliar o seu nível de qualificação para o trabalho, quais são seus diferenciais e quanto tempo você consegue dedicar ao artesanato (em dias e horas).

Uma dica importante é calcular o seu salário com base nas suas despesas pessoais – como contas da casa, aluguel, alimentação, etc. A partir desse cálculo, você descobre o quanto precisa ganhar para pagar todas elas sem passar nenhum sufoco.

Além disso, deve-se dar atenção a um ponto. Por exemplo, se a sua projeção de salário for muito alta, o seu produto acaba ficando caro. Mas, dependendo do momento do seu negócio – o que vamos discutir mais à frente -, é possível aumentar ou diminuir sua remuneração, tornando, quando apropriado, seu preço de venda das peças mais competitivo, acelerando o crescimento do seu negócio.

E o que é a margem de lucro?

Para calcular o preço final de venda de uma peça, é necessário levar em conta os custos fixos, custos variáveis, salário e lucro.

Sendo assim, a margem de lucro é uma porcentagem que compõe o seu preço de venda.

>> Ainda não sabe calcular o preço de venda das suas peças? Acesse agora nossa calculadora gratuita e descubra por quanto vender o seu artesanato

A ideia é que o lucro seja usado em investimentos para fazer o seu negócio crescer ou, até mesmo, em casos de emergência.

Mas como definir a margem de lucro? Isso vai depender bastante do tipo de negócio e do ramo de atuação. No artesanato, é comum se trabalhar com uma margem de lucro entre 10% e 30%.

No próximo tópico, vamos explicar melhor como ajustá-la do jeito certo.

Porém, em linhas gerais, funciona assim: se você está com dificuldades de vender o seu produto por conta do preço, por exemplo, uma saída é diminuir a margem de lucro para ter um produto mais competitivo, sem comprometer o seu salário.

4 fases do negócio de artesanato e a relação entre margem de lucro e remuneração

Para tornar a missão de hoje mais simples, resolvemos oferecer dicas para cada momento do negócio: planejamento, expansão, estabilidade e reinvenção.

Isso não quer dizer que todo negócio passe por essas 4 etapas, nessa ordem, ok?

Esta separação serve para você conseguir visualizar de forma mais clara como aplicar as dicas em cada contexto. Entretanto, é importante dizer que a evolução de um negócio acontece gradativamente, não se dá de uma hora para outra.

Portanto, não há um marco exato que indique estabilidade ou que é o momento certo de investir para expandir mais.

Tudo vai depender da realidade de cada negócio e de onde você quer chegar.

Dito isso, vamos ao que interessa!

1. Planejamento

A etapa de planejamento é fundamental para você conseguir dar os próximos passos. É o momento em que você define o seu objetivo de acordo com o seu propósito, pensando aonde deseja chegar.

A partir disso, é possível traçar suas metas de produção com base nas horas que você pretende trabalhar. Isso corresponde a sua real capacidade de produção.

E o planejamento também serve para você definir sua remuneração e margem de lucro. Sem um plano, fica muito mais difícil chegar a valores adequados para começar.

A calculadora de precificação de artesanato da eduK é gratuita e te dá aquela força na hora de traçar esses cenários para o seu negócio. Com base nas informações que você oferece, a calculadora ajuda você a traçar metas de venda ao estabelecer:

a. O preço de venda do seu produto: quanto você deve cobrar por peça para não ter prejuízos ao produzi-la.

b. Quanto você precisa vender para:

  • cobrir os custos de produção, que significa pagar todas as despesas e não ter nenhum prejuízo;

  • garantir o seu salário com base em um volume de vendas que seja suficiente para você ter a remuneração desejada, além de cobrir os custos de produção;

  • viver de artesanato, ou seja, conseguir pagar tudo, ter um salário adequado, além de uma reserva para fazer o seu negócio crescer.

A ideia é testar e ajustar essas variáveis até chegar a valores apropriados para começar. Portanto, fique tranquila, pois os ajustes podem ser feitos sempre que for preciso.

Neste primeiro momento, é importante ter essas informações em mãos para traçar suas metas de negócio, organizar a rotina, dar conta da produção e, claro, saber de fato o quanto você precisa vender para que seus planos se tornem realidade.

profissionalizar-negócio-de-artesnanato-calculadora-de-precos

2. Expansão

Antes de tudo, vale a pena deixar claro que a expansão é um movimento natural do negócio de artesanato. Conforme você vai entendendo melhor sua produção e as demandas que tem, é preciso estar atento e perceber quais produtos vendem mais.

Nesse processo, você pode fazer pequenos ajustes na margem de lucro e na remuneração. O objetivo é testar diferentes porcentagens de lucro para chegar a um preço de venda atraente para os clientes.

Na hora de fazer esse tipo de teste, a calculadora de precificação de artesanato é uma mão na roda, viu? Isso porque ela mostra automaticamente o preço final conforme a margem de lucro e a remuneração vão sendo ajustados.

Você deve ficar de olho em alguns pontos principais:

  • oferecer um preço de venda mais competitivo;

  • ter um lucro suficiente para planejar investir nas ferramentas e serviços necessários;

  • tirar um salário que cubra as suas despesas pessoais.

Em relação ao seu salário, você até pode fazer ajustes iniciais para dar conta das suas necessidades. Mas, o melhor é não alterar muito os valores até o negócio estar mais estável.

Além disso, na fase de expansão você deve aprofundar o conhecimento do seu próprio negócio. Por exemplo, uma sugestão é passar a focar a maior parte do seu tempo de produção naquelas peças que tenham mais saída e uma margem de lucro maior.

Ao mesmo tempo, você deve analisar se está conseguindo atingir as metas traçadas no planejamento.

3. Estabilidade

É possível dizer que um negócio atingiu a estabilidade quando as coisas estão funcionando bem, o preço de venda está atendendo às suas necessidades e a dos clientes e existe uma projeção de crescimento.

Geralmente, nesta fase as artesãs estão por dentro da dinâmica das vendas, sazonalidade, perfil dos clientes, etc. Esses conhecimentos permitem otimizar os custos de produção.

Dessa forma, além de focar nas peças com uma margem de lucro maior, é possível buscar formas de reduzir os gastos com materiais, como fazer compras maiores e negociar preços com fornecedores.

Organizar o estoque e se preparar para as principais datas comemorativas do ano, quando o volume de vendas aumenta, também ajuda você a aumentar a margem de lucro sem mexer no preço de venda.

Afinal, se você gasta menos para produzir uma peça, mantendo o valor de venda, a margem de lucro é maior. A partir dessa lógica, fica mais simples fazer esse jogo com as variáveis que compõem os preços, não é?

E a remuneração?

Se achar necessário, você pode aumentar o seu salário. Porém, esse aumento deve ser um reflexo dos investimentos feitos no seu próprio desenvolvimento enquanto artesã.

Mais experiência no artesanato, criações próprias, peças personalizadas são alguns exemplos de fatores que trazem mais valor para o seu trabalho.

Além disso, não podemos deixar de falar dos investimentos em capacitação.

Aprender com quem mais entende do assunto contribui com a sua evolução. Na plataforma da eduK, você encontra diversos cursos de artesanato que vão ajudar o seu negócio a decolar.

Só tenha em mente que, se você aumentar a sua remuneração sem diminuir outros custos, o seu preço de venda também aumenta.

Nesse caso, o cliente precisa perceber o valor do seu trabalho por meio da qualidade dos produtos, novidades e dos seus diferenciais em relação à concorrência. Essa é a sonhada fase do reconhecimento! E a gente acredita que você vai chegar lá rapidinho seguindo nossas dicas.

4. Reinvenção

Ter um negócio estável não deve ser encarado como o ponto de chegada. É importante refletir sobre os próximos passos, criar novos objetivos, explorar novas ideias.

Por isso, repensar o seu negócio deve ser uma prática constante.

No entanto, alguns momentos demandam uma atenção maior. Por exemplo, expandir ainda mais o seu negócio requer um novo planejamento, principalmente se isso exige uma nova estrutura de produção.

Quantas artesãs que trabalham em casa não sonham em abrir o seu próprio ateliê em outro local, não é mesmo? Esse é um objetivo muito comum no mercado de artesanato. Mas, para fazer com que esse sonho se torne realidade, é preciso colocar tudo na ponta do lápis.

Um espaço de trabalho gera várias despesas (aluguel, conta de luz, água, internet, etc). E para essas despesas não impactarem tanto o preço de venda, a margem de lucro e a sua remuneração, será preciso vender mais, certo?

Isso significa ampliar a produção, seja aumentando as horas de trabalho, contratando um funcionário para ajudar nas atividades e por aí vai.

Conforme novas despesas surgem, talvez seja preciso fazer novos ajustes no seu salário e na margem de lucro. De novo, é preciso ressaltar a importância de avaliar as implicações dos reajustes.

Na hora de reinventar o seu negócio, por exemplo, pode ser necessário diminuir um pouco a margem de lucro para essa fase, para assim aumentar o número de vendas. Porém, você deve ter em mente que esse investimento consome parte de sua reserva, portanto, deve ser feito de forma planejada e afetando o mínimo possível sua capacidade de produção e o volume das suas vendas.

Na medida que o negócio se reinventa, avança no mercado de artesanato e as vendas crescem, a sua remuneração também pode ser reajustada. Você deve avaliar o que faz mais sentido de acordo com seu novo objetivo de expansão.

Outros cenários também podem surgir exigindo que seu negócio entre em uma fase de reinvenção, como, por exemplo, para superar uma crise. E isso pode ocorrer por diferentes motivos; por conta de questões familiares, de saúde, acidentes, imprevistos ou até mesmo uma pandemia – como vimos acontecer recentemente. Assim, você pode ter que rever os custos e os preços de venda para manter o negócio vivo e traçar um plano para a superação.

Como já dissemos aqui, você deve ter cuidado ao repassar novos valores para o cliente. Sejam eles maiores ou menores, as pessoas precisam entender que os preços estão de acordo com o que cada artesão tem para oferecer de valor por meio do seu trabalho. Além, claro, de estarem compatíveis com o mercado de artesanato.

Aplique as dicas no seu dia a dia!

Passando pelas diferentes fases do negócio, este artigo quis mostrar a você a lógica de como lidar com a margem de lucro e remuneração.

A partir do momento em que fica claro como essas variáveis impactam o preço final de venda das suas peças, você passa a ter mais confiança para administrar o dinheiro do seu negócio!

Se você ainda tem dúvidas sobre como calcular o preço de venda, fique tranquila! Acesse a calculadora de precificação da eduK e descubra por quanto vender o seu artesanato.

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitos diretamente em seu e-mail!