Fotografando bolsas para ganhar dinheiro

Como ganhar dinheiro com bolsas? Confira o guia completo!

O mercado da moda nunca para e sempre traz tendências que suprem desde os desejos estéticos até as necessidades mais funcionais do cotidiano das pessoas. Tal comportamento não muda nem mesmo em momentos de crise. A pandemia do novo coronavírus, por exemplo, impulsionou a venda de máscaras de diversos modelos e estampas e transformou esse elemento de proteção individual em integrante do look do dia.

Mas deixemos as máscaras de lado porque o foco da nossa conversa é outro. Se você deseja saber como ganhar dinheiro com bolsas, temos uma ótima notícia. Esse produto está entre os mais comprados na internet, segundo um estudo realizado pelo Sebrae em 2017. De fato, quando o assunto é acessório, a rentabilidade de quem empreende na área é bastante vantajosa.

Para incentivar você a investir nesse tipo de confecção artesanal, vale até lembrar o caso da designer Nathalia Tolentino, que começou a fabricar suas bolsas em casa e hoje está no mercado de luxo, após um aporte de R$ 1,5 milhão. Já imaginou se essa possibilidade se abre também para você?

Confira, a seguir, informações completíssimas sobre a produção de bolsas e comece hoje mesmo a estruturar o seu negócio!

Vale a pena vender bolsas?

A venda de vestuário e acessórios diversos é sempre uma alternativa rentável, afinal, as pessoas nunca param de consumir esse tipo de produto. Por envolver não só um apelo de novidade, mas também de necessidade, essas peças são sinônimo de boa margem de lucros.

A rentabilidade torna-se ainda mais garantida quando esses itens, a exemplo das bolsas, apresentam dois fatores hoje indispensáveis ao novo consumidor — a exclusividade e a personalização. Se você aprimora suas técnicas, aplica criatividade e lança modelos diferenciados, com certeza terá um ótimo retorno.

Quais as principais tendências?

Algo que colabora para essa lucratividade da confecção é ficar por dentro do que o universo da moda dita por aí. Apesar de algumas bolsas serem atemporais e terem ótima saída, devemos apostar em tendências que podem alavancar ainda mais as vendas.

Há vários tipos de bolsas artesanais, feitas em diferentes materiais, formatos e tamanhos. Algumas se destacam, como as famosas carteiras de mão, aquelas no estilo sacola e, claro, as bolsas em tecido. De qualquer forma, podemos nos inspirar em grandes tendências para oferecer produtos atuais aos clientes. Veja a seguir!

Bolsa Hobo

Sabe aquela bolsa que tem formato de meia-lua? Sua alça é um pouco mais longa e única, geralmente ajustável. Essa é uma das promessas das passarelas para as ruas que foi febre no início dos anos 2000. Como é um formato prático, vale a pena fazer com diferentes texturas, materiais e tamanhos.

Bolsa com alça de corrente

Para dar um toque moderninho às bolsas, as alças do momento são as correntes, que também se fazem presentes em outros acessórios e até mesmo em sapatos. Das mais grossas e impactantes às mais finas e delicadas, é possível reinventar o produto de diferentes maneiras. Se preferir, a corrente também pode se tornar um mero detalhe, acompanhando a alça ou enfeitando bolsas, mochilas e carteiras.

Bolsa compartimentada

O dia a dia pede organização para que a gente não deixe nada para trás. Por isso, às vezes precisamos de uma bolsa com vários compartimentos, não é mesmo? Pois bem, essa é outra tendência de 2020: muitas divisórias, bolsos menores e aquela bolsinha extra junto à maior.

Maxi bolsa

Para quem quer carregar o “mundo”, mas sem tantos compartimentos, a boa notícia é que a maxi bolsa continua firme e forte entre os modelos queridinhos do momento. Aliás, elas são ótimas para o dia a dia. Em relação à confecção, pedem menos complexidade.

Bolsa com alça de bambu

Os elementos naturais estão muito em alta e até mesmo as grifes mais famosas apostam nas alças de bambu — Prada, Gucci e Miu Miu lançaram bolsas básicas, dando um ar mais tropical a materiais pesados, como couro e sintéticos.

Bolsa de ráfia e crochê

As passarelas ressuscitaram a antiga bolsa de crochê e ráfia, muito usadas durante a primavera e o verão. Além de serem bem detalhadas e trazerem um ar de exclusividade à peça, são coringas na combinação de bolsas e acessórios femininos em tecido.

Quais os melhores modelos?

As tendências ajudam na inspiração, mas você tem uma gama enorme de modelos para produzir. As possibilidades vão desde as simples bolsas de ombro e de mão até as mochilas e clutches para festas.

O mercado hoje também oferece espaço para quem quer investir em bolsas de Neoprene e outros materiais térmicos, para lancheiras usadas no dia a dia. O mesmo vale para cases de notebook e tablet, muito úteis para proteção e transporte desses eletrônicos.

Com um apelo sustentável e tecnológico, temos também as ecobags, feitas com tecidos diversos e materiais sintéticos para auxiliar nas compras de mercado e em demais tarefas rotineiras, que pedem sempre uma sacola extra.

Vale a pena estudar as alternativas, a lucratividade e o público antes de começar a confeccionar os modelos que mais têm sentido para você e seu negócio. Assim, as bolsas artesanais serão feitas com mais estratégia e segurança de retorno. Dá até para investir, por exemplo, em bolsas e acessórios masculinos ou no combo bolsa, mala e acessórios de viagem. Fica a dica.

Como produzir bolsas de tecido e sintéticas para vender?

Já que as bolsas artesanais seguem um padrão de medidas para cada modelo (mesmo que personalizadas), é bem fácil produzi-las. Você pode começar pela escolha do estilo e, por meio de moldes, realizar o corte do material principal de forma bem precisa — seja tecido, seja sintético.

O mesmo vale para os forros. Não se esqueça de que eles precisam ter exatamente as mesmas dimensões da superfície, para que não sobrem rebarbas na costura. Com a máquina, que é a ferramenta mais recomendada em termos de acabamento, você vai unir as partes pelo lado avesso, sempre pensando no resultado.

A costura reta é essencial, por isso, quanto mais você praticar, com atenção e controle nas mãos, melhores serão os pontos. Durante a produção, cuide também de detalhes como a cor da linha em relação aos tecidos, a firmeza das alças e os possíveis enfeites externos, a qualidade dos materiais utilizados e, sempre que possível, coloque-se no lugar de quem for usar a peça.

Como aprender a costurar?

Se mesmo depois de ter uma ideia de como as bolsas de tecido ou sintéticas são produzidas, você ainda não sentir segurança em começar a confecção porque não tem muita experiência em costura, vale a pena conferir mais algumas dicas. Veja só!

Sempre lave os tecidos antes de costurar

Você já passou pela experiência de comprar uma roupa perfeita e, depois da lavagem, ela encolher? Isso acontece porque muitas confecções não lavam o tecido antes do corte. O mesmo ocorre com outros tipos de peças feitas em pano, pois as fibras vêm da tecelagem esticadas e tensionadas.

Somente após a lavagem é que o material fica macio e com suas fibras relaxadas. Assim, as chances de a costura dar certo são maiores. Alguns fornecedores oferecem o produto pré-lavado, o que facilita a vida do artesão, mas é bom você conferir antes e, na dúvida, realizar a lavagem assim mesmo.

Tenha um ritual de organização

Qualquer tipo de costura só dá certo se for feito em um ambiente limpo e organizado. Isso elimina erros no processo e otimiza os resultados das suas peças, que darão retorno financeiro maior quando entregues com capricho e cuidado.

Se você puder ter um cantinho somente para a costura, ótimo. Conte com a ajuda de caixas organizadoras e crie um padrão de separação de materiais. Mesmo que a ideia seja deixar tudo sempre à mão, crie o hábito de organizar todo o espaço pelo menos uma vez por turno de trabalho.

Costure em um lugar com boa iluminação

Parece bobeira falar disso, mas você sabia que muita gente peca no acabamento da costura simplesmente por não ter trabalhado em um local bem iluminado? Além de comprometer a qualidade da peça, convenhamos que é bastante desconfortável forçar a vista para tentar enxergar durante qualquer tipo de atividade.

Use uma tesoura apenas para os tecidos

As tesouras que são usadas para tudo não são recomendadas na hora de cortar tecido. É por isso que algumas ficam “mascando” o pano e prejudicam o corte preciso. O ideal é ter uma exclusiva para cortar os moldes de papel, por exemplo, e outra reservada apenas para os panos. Assim, você evita piques e curvas que comprometem o resultado final.

Aprenda a diferença das agulhas e linhas

No início pode parecer complicado, mas é só se informar um pouquinho mais — com quem entende do assunto, é claro — que você vai descobrir o vasto universo das linhas e agulhas. Algumas são mais recomendadas para um tipo de artesanato, enquanto outras são perfeitas para produções específicas. Uma bolsa sintética, por exemplo, requer agulhas mais firmes e linhas resistentes, diferentemente de uma bolsa de tecido delicado.

Faça um teste em retalhos

Essa é uma boa dica até para quem é experiente. Fazer um teste em retalhos antes de partir para a costura da peça é uma prática cuidadosa, que ajuda a eliminar erros. Principalmente quando se trata de máquina de costura, é sempre bom testar o ponto em um retalho ou pedaço do mesmo tecido que será usado na bolsa, para que você veja se realmente vai funcionar.

Não pule etapas

As pessoas apressadinhas podem ter sérios problemas na hora de costurar. Isso porque não dá para pular nenhuma fase do processo — todas são importantes. Dependendo do produto confeccionado (tecido, por exemplo), você precisa seguir a ordem de tarefas, como:

  • tirar medidas;
  • fazer o molde em papel;
  • cortar o tecido;
  • alfinetar e alinhavar a peça;
  • costurar;
  • fazer uma prova;
  • passar o tecido;
  • refazer alguma parte, se for preciso;
  • deixar tudo pronto para o cliente.

Pesquise e nunca pare de aprender

A costura depende de prática e, além disso, paixão. Portanto, se você quer fazer o seu negócio dar certo, precisa ter um espírito de procura constante. Pesquise sobre novas técnicas, faça cursos para aprimorar suas habilidades e ampliar seu leque de produtos, acompanhe o trabalho de outros profissionais da área e nunca pare de aprender.

Quais os melhores materiais e tecidos para bolsas?

Quando o assunto é bolsa artesanal, o material pode variar bastante. Afinal, uma bolsa personalizada, feita com exclusividade por uma expert nesse nicho de mercado, pode ser de lona, patchwork, couro sintético ou camurça, palha, linha, pano e por aí vai.

Quem trabalha com arte sabe o quanto a criatividade entra na equação para resultados atraentes, não é mesmo? Por isso, veja o que tem mais saída, pense na quantidade necessária de materiais e tecidos para produzir as bolsas e invista sem medo.

Lembre-se também de que bolsas geralmente precisam de um forro e de acabamento reforçado, para que o cliente não tenha surpresas desagradáveis ao utilizá-las. Logo, além do material principal, pense em todos os detalhes indispensáveis na hora da produção.

Os tecidos e materiais ideais vão variar de acordo com a finalidade da bolsa e o gosto do público. A saber:

  • bolsas maiores e utilizadas diariamente, que costumam carregar mais peso, devem ser reforçadas e serem de tecidos resistentes, como lona, córdoba ou velum e canvas, que são usados em estofados;
  • bolsas de pano são mais delicadas, mas também pedem materiais de qualidade, como tricoline, que pode ser combinado com sarja ou outras tramas mais fortes no forro, como nylon ou microfibra;
  • bolsas de piscina e praia podem ser feitas em material de fibra natural, como palha, tramas manuais (a exemplo do crochê) ou, então, com tecido atoalhado e até mesmo sintéticos e impermeáveis.

Para deixar sua bolsa resistente, sem perder a perfeição e delicadeza do acabamento, você pode usar duas camadas do mesmo tecido, um material mais forte no forro e até mesmo técnicas de enchimento, como no caso das mantas e matelassados.

Que tal já ir aprendendo com quem produz? Em pesquisas com o público da eduK, descobrimos os materiais mais usados na produção de bolsas: tecidos e sintéticos. Para dar sustentação à peça, dizem usar manta e entretela.

Vale lembrar que os sintéticos são uma ótima escolha para facilitar a higienização da peça! Também descobrimos que costura criativa, patchwork e quilting são técnicas “queridinhas” para a produção das bolsas.

Os detalhes da peça ficam por conta dos bordados à máquina ou mão. E você? Já escolheu quais serão materiais e as técnicas para produzir sua primeira bolsa?

Quais itens complementares podem ser produzidos?

Em algumas situações, os tecidos e materiais para bolsas são tão lindos, que dá vontade de aproveitar cada retalho. Além de ser possível e sustentável, essa prática ainda pode abrir seu leque de produtos, agregando mais valor às compras dos clientes e aumentando a rentabilidade, já que o ticket médio pode subir.

Os itens complementares englobam as carteiras, as pochete, as frasqueiras, as pastas e as nécessaires. Porém, você pode pensar em itens ainda mais criativos, como chaveiros, cases para celular, documentos e óculos ou, até mesmo, máscaras de proteção individual, que estão em alta no momento.

De modo geral, o público adora novidades e, ao conhecer suas bolsas, pode aproveitar uma compra para levar mais produtos — seja para presentear, seja para completar o valor mínimo de frete grátis, por exemplo. Olha só que ótima ideia.

Dá para montar kits exclusivos ou temáticos, oferecer descontos progressivos ou, simplesmente, aproveitar datas especiais para acrescentar um mimo à compra do cliente. Dica: um brinde ou uma lembrancinha sempre conquista e fideliza pessoas.

Por que investir na venda de bolsas de maternidade?

Outra coisa que também dá muito certo é investir em um nicho específico de bolsas, como é o caso das bolsas de maternidade. Primeiro, porque essa é uma demanda constante e o mercado nunca entra em crise. Segundo, por haver certa dificuldade em produzi-las em máquinas domésticas, razão pela qual muitos artesãos deixam esse ótimo segmento de lado.

Contudo, com a lista de materiais certa e a técnica e prática em dia, é possível criar vários produtos lindos e úteis às mamães: mala de passeio, mala para maternidade, frasqueiras térmicas e por aí vai. O diferencial dessas peças está no tecido sintético de matelassê, no acabamento interno de cetim e, claro, nas ferragens que estruturam a peça e valorizam o produto.

Onde vender as bolsas?

Agora que você já sabe toda a parte prática de como ganhar dinheiro com bolsas, chegou a hora de saber como vendê-las. A melhor dica que poderíamos dar é o ingresso no mercado online. Afinal, o comércio eletrônico está consolidado há algum tempo, e a pandemia do novo coronavírus contribuiu significativamente para impulsioná-lo. Hoje, sabemos que é totalmente possível viver 100% das vendas virtuais.

Você pode manter suas vendas tradicionais, é claro, mas considere investir em marketplaces, redes sociais e até mesmo na criação de uma loja virtual própria, que possibilitará um maior controle sobre todas as etapas da jornada do cliente.

Confira, na lista abaixo, algumas opções vantajosas e viáveis:

  • marketplaces gerais, como Mercado Livre;
  • marketplaces segmentados, como elo7;
  • redes sociais, com destaque para o marketplace do Facebook e os recursos business do Instagram;
  • WhatsApp business, com funções específicas para vendas, como catálogos de produtos com preços, mensagens automáticas, horário de atendimento etc.;
  • e-commerce próprio, com site completo para venda, pagamento e envio dos produtos.

O ideal é encontrar as melhores plataformas para vender suas bolsas, mensurando em quais você obtém mais retorno. Logo, é interessante testar, experimentar, buscar informações sobre esses canais e, se possível, mixar as opções para alcançar um número maior de vendas.

Como ganhar dinheiro com bolsas divulgando seu trabalho?

As vendas são impulsionadas pela divulgação e, quando se trata do ambiente online, esse é um dos maiores segredos para ganhar dinheiro com bolsas. A segmentação do seu público é um ótimo começo, pois a melhor visibilidade é a qualificada. Por mais que o meio virtual abra a possibilidade para o mundo todo, vale a pena investir em quem realmente se interessa pelo seu trabalho.

Se você produz bolsas para maternidade, por exemplo, saberá direcionar melhor suas campanhas de marketing nas redes sociais, já que seu público será as mamães gestantes. Outra possibilidade é a produção de frasqueiras e bolsas térmicas para mulheres que levam uma vida fitness ou um dia a dia corrido.

A ideia é conhecer melhor seu público por meio da procura dos seus produtos e, com isso, realizar a melhor divulgação possível, feita para quem interessa. Com isso em mente, fica mais fácil manter uma linguagem estratégica nas suas publicações, seja no Instagram, seja no Facebook, seja no WhatsApp.

Outro ponto importante é manter a regularidade das postagens e cuidar muito bem da qualidade dos anúncios. As descrições precisam ser fiéis e bem escritas, ao passo que as fotografias devem ser atrativas, com boa resolução e com foco total no produto.

Além disso, vale apostar em conteúdo diversificado, ou seja, em informações valiosas aos clientes que servem como isca para as vendas. Dicas de moda que envolvem as bolsas e acessórios, por exemplo, são muito bem-vindas, assim como melhores práticas de uso, cuidados e lavagem das peças.

Por fim, para dar um gás nas suas estratégias de divulgação, é válido apostar em mídia paga, isto é, na publicidade impulsionada por ferramentas como Facebook Ads e Google Ads. Como elas permitem que você segmente com fidelidade o público interessado em seu negócio, os resultados tendem a ser bastante satisfatórios, logo, essa pode ser uma ótima ideia na fase inicial das suas vendas.

Viu só como ganhar dinheiro com bolsas é totalmente possível? Neste guia, você recebeu todas as informações necessárias para empreender sem medo de ser feliz. Esteja sempre a par das tendências em bolsas e das novidades do mercado. Além disso, jamais deixe de investir em capacitação. Um conselho é ir além dos cursos de costura e das novas técnicas. Permita-se aprender sobre empreendedorismo, modelo de negócios, vendas na internet e marketing digital. Tudo isso vai ajudar — e muito — no sucesso do seu artesanato.

Gostou do que descobriu? Agora que chegamos até aqui, que tal dividir seus conhecimentos com mais pessoas? Compartilhe este conteúdo nas redes sociais e incentive seus amigos a investir em um bom negócio também!

Receba nossas dicas e conteúdos gratuitos diretamente em seu e-mail!